segunda-feira, 30 de julho de 2012

Blackbird


Blackbird
The Beatles

Blackbird singing in the dead of night,
Take these broken wings and learn to fly.
All your life,
You were only waiting for this moment to arise.

Blackbird singing in the dead of night,
Take these sunken eyes and learn to see.
All your life,
You were only waiting for the moment to be free.

Black bird fly, black bird fly
Into the light of the dark black night.

Black bird fly, black bird fly
Into the light of the dark black night.

Blackbird singing in the dead of night
Take these broken wings and learn to fly.
All your life
You were only waiting for this moment to arise
You were only waiting for this moment to arise
You were only waiting for this moment to arise

quinta-feira, 26 de julho de 2012

O Corvo e a Coruja


Coruja é a noite, a sombra, sonhos, o mundo subterrâneo, invisível, ao inconsciente. Coruja foi o companheira de Atena, a deusa da sabedoria e, como tal, revelou verdades invisíveis para ela. Coruja teve a capacidade de brilhar a luz no lado cego de Athena, permitindo a ela para falar toda a verdade e não meias-verdades.


a coruja ensina que existe um tempo para ficar em silêncio com compreensão e tempo de falar. Eu acho que a verdadeira sabedoria vem de saber quando é o momento certo de falar a sua verdade. Ela é calma e contemplativa ( introvertida), lidera o caminho na escuridão.

Corvo é o inspector da luz, dia, todas as coisas visíveis, e ela ensina sobre a vida no mundo, sobre viver na consciência e na ilusão sobre o que você acha que você vê nem sempre é o que é real. Ela é falante, curioso, impaciente, esperto quando precisa ser. extrovertido e impulsivo. Corvo pode ser opinativo e falar com a força de suas convicções, mas a lição é estar consciente das suas opiniões e ações.

Corvo também é simbólo do processo alquímico de nigredo, o estado a partir de uma substância antes de ter sido formado e atingir o seu pleno potencial. Portanto, o corvo é o processo mágico de criar algo do nada. A magia do Corvo é mudança e adaptação às mudanças.

masculino / feminino, claro / escuro, acima / abaixo , consciente / inconsciente, interior / exterior

sexta-feira, 20 de julho de 2012

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Pensamento, ações , hábitos e destino




Pensamentos viram ações
Ações viram hábitos
Hábitos viram o caráter
E o caráter vira o seu destino.

Hunter Thompson

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Milho de Pipoca


A transformação do milho duro em pipoca macia é símbolo da grande transformação por que devem passar os homens para que eles venham a ser o que devem ser.
O milho de pipoca não é o que deve ser. Ele deve ser aquilo que acontece depois do estouro.

O milho de pipoca somos nós: duros, quebra-dentes, impróprios para comer.
Pelo poder do fogo podemos, repentinamente, nos transformar em outra coisa.
Mas a transformação só acontece pelo poder do fogo. Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho de pipoca, para sempre.
Assim acontece com a gente. As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo.
Quem não passa pelo fogo fica do mesmo jeito, a vida inteira.
São pessoas de uma mesmice e uma dureza assombrosas. Só que elas não percebem. Acham que o seu jeito de ser é o melhor jeito de ser. Mas, de repente, vem o fogo.
O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos.
Dor.
Pode ser o fogo de fora: perder um amor, perder um filho, ficar doente, perder o emprego, ficar pobre.
Pode ser o fogo de dentro: pânico, medo, ansiedade, depressão, sofrimentos, cujas causas ignoramos.
Há sempre o recurso do remédio. Apagar o fogo.
Sem fogo, o sofrimento diminui. E com isso a possibilidade da grande transformação.
Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro ficando cada vez mais quente, pensa que a sua hora chegou: vai morrer.
Dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela não pode imaginar destino diferente.
Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada. A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz.
Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo a grande transformação acontece: BUM! ? e ela aparece como uma outra coisa completamente diferente que ela mesma nunca havia sonhado.
Bom, mas ainda temos o piruá ? o milho de pipoca que se recusa a estourar.
São aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente se recusam a mudar. Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem. A sua presunção e o medo são a dura casca que não estoura. O destino delas é triste. Ficarão duras a vida inteira. Não vão se transformar na flor branca e macia.
Não vão dar a alegria para ninguém.
Terminado o estouro alegre da pipoca, no fundo da panela ficam os piruás que não servem para nada.
Seu destino é o lixo…

Autor desconhecido.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Nigredo III




A fase de nigredo que geralmente marca o início do trabalho, é provocada por aquecimento da matéria prima no processo de calcinação (a 'forma seca' dos alquimistas), ou pelo processo de putrefação, uma decomposição lenta ou digestão durante um período de semanas ou meses (o "caminho molhado" so-called). O Corvo Negro foi muitas vezes associada a este calcinação, sobre o aquecimento vigoroso o material calcinado normalmente carbonizam e camadas se desprender e se movem como as asas de um corvo no frasco.

onde o alquimista resgata de seu mundo sombrio os potenciais a serem transmutados.

Nigredo II


Nigredo, a depressão mais negra, o abismo pasmado em que se cai.Treva que paralisa, olhar que não se fixa, melancolia, asa de corvo, descida ao vale...morte, de que se tem consciencia.
São tantas as formas .
Albrecht Duerer, um alquimista da alma.

Nigredo



3 corvos na grama,
Guerra,Morte e Amor
lembrou-se do sonho, da promessa do novo
entendeu...
tudo começa e termina
Sentou-se, fechou os olhos e mergulhou na escuridão.
A batalha deve ser travada,
a morte é inevitável
e o Amor puro, trará a nova semente.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Arco-íris, pontes, serpentes e insights

Hoje de manhã vi o arco-íris,pensei em pontes, deuses, serpentes e encontrei uma jiboia de meio metro na área externa do escritório que trabalho.


O nome Arco-Íris provém da mitologia grega, onde Íris era uma deusa que exercia a função de arauto divino. Em sua tarefa de mensageira, a deusa deixava um rastro multicolorido ao atravessar os céus.




Para os vikings é Bifröst a ponte arco-íris que liga Midgard (o mundo) a Asgard , o reino dos deuses.


Para as populações indígenas, de quase todo continente americano, é uma víbora que ataca a chuva e não deixa chover. A serpente Arco-Íris, personalizando um fenômeno meteorológico, é universal.
Os albaneses também crêem que arco-íris é uma serpente que desce à terra para beber água
Na África é a serpente arco-íris para sudaneses e bantos, a N’Tyama, cavalo de Nz’ambi, a Mu-kyama, etc. (Pe. Tastevin, Les idées religieuses des africains, 8, 10).



A serpente arco-íris desapareceu nas tradições brasileiras.
Na mitologia aborígene, Ngaloyd e Borlung são dois nomes místicos da gigantesca “Serpente arco-íris”, que através de seu movimento subterrâneo fez surgir serras e cordilheiras de montanhas, sendo a maior “prova” da existência da ‘serpente arco-íris’ a forma dos rios que teriam surgido enquanto a serpente rastejava sobre a terra.





No candomblé temos Oxumarê ou Oxumaré o orixá conhecido como a serpente arco íris. Sua característica é o movimento contínuo, que nunca descansa. Ele gira ao redor do mundo e ajuda a manter seu equilíbrio.

que me lembra o ouroboros....

Além do que se Vê II



visionário
(francês visionnaire)
adj.
1. Relativo a visões.
s. m.
2. Aquele que julga ter visões.
adj. s. m.
3. Que ou quem tem ideias quiméricas ou extravagantes. = DEVANEADOR, IDEALISTA, SONHADOR, UTOPISTA
4. Que ou quem tem ideias inovadoras.

Doses de Alquimia



Um alquimista vê o mundo como uma entidade viva, em constante mudança e movimento.

Esse movimento cria impressões que podem ser lidas tal qual uma linguagem. A Linguagem do Mundo.

Essa língua tem uma forma única de se expressar. É escrita e lida através de sinais.

Sinais que a Alma do Mundo deixou para cada pessoa.

Esses sinais que o alquimista lê mostram o que aconteceu, o que está acontecendo e o que poderá acontecer.

Para um leigo, esses “sinais” não são mais do que simples ocorrências de fatos cotidianos, aparentemente sem nenhum significado oculto.

Porém, para os olhos treinados do alquimista, esses sinais são mensagens da Alma do Mundo, auxiliando-o na realização da Grande Obra, da Lenda Pessoal. São símbolos que formam tal qual um mapa do tesouro, indicando onde estão as armadilhas, onde é seguro prosseguir e quais ações são mais recomendadas.

Outro dom do alquimista é a transmutação das situações e das circunstâncias. Devido a esse dom, o que parece ruim para as pessoas comuns, para o alquimista é bom. Ele sabe que tudo tem um propósito e que muitas situações são, na verdade, o contrário do que se pensa.

Um alquimista é desapegado de todas as coisas do mundo, pois sabe que não o pertencem. Ele as toma emprestado e as devolve assim que sua função foi cumprida. Pois Tudo é Uma Coisa Só.

Cada pessoa, por mais que rejeite, possui uma Grande Obra designada a ela. Não só as pessoas, mas tudo possui sua própria Lenda Pessoal. Todas as coisas caminham em direção à essa realização, mesmo que leve uma eternidade para atingi-la.

A finalização da Grande Obra é única para cada um. Alquimistas bem sucedidos aludiram à esse momento a criação da Pedra Filosofal, capaz de transformar chumbo em ouro; e a criação do Elixir da Longa Vida, capaz de curar todas as doenças e prevenir a morte.

Realizar a Grande Obra é a única obrigação dos homens.

Tiago Mazzon - http://www.labirintodamente.com.br

O blog Labirinto da Mente é um local onde se busca estudar, pesquisar, e refletir sobre o mundo, a vida, o universo e o espírito de forma didática e utilizando os mais diversos veículos, como textos, vídeos, músicas e imagens.

Pages