Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2015

DIÁRIO DE UM PSICANALISANDO, O – AFORISMOS DE TRANSTORNOS E PERCEPÇÕES DO AMOR

Imagem
Prefácio do Livro Diário de um psicanalisando do Lucas Moreira
Mais informações sobre o livro
http://www.quartetoeditora.com.br/catalogo-livro-escolhido.php?livro=135








Desnudar-se é um ato de coragem. E o caminho da coragem é o caminho coração, como nos ensina Osho, um dos gurus de Lucas. Conhecer-se. Futucar-se. Questionar-se. Caminhar pelos abismos mais obscuros de nosso inconsciente e deparar-se com o maior de todos os inimigos: nós mesmos. O autoconhecimento é mesmo uma aventura. Dolorida e prazerosa – dentro de um contraditório vasto e profundo... Não é negando nossa humanidade, mas mergulhando conscientemente nela que podemos nos encontrar naquilo que muitos mestres vêm nos alertando: somos deuses e deusas esquecidos disso. Refletir, nos mostra que outros caminhos e atitudes são possíveis. E o mergulho que Lucas deu, dá, é profundo e corajoso. Guiado por seu terapeuta, M. uma letra que tem cara, nome, personalidade – ainda que não diluída, em respeito a uma não exposição solicitada…

O ANDARILHO

por Friedrich Nietzsche
(em “Humano Demasiado Humano” #638)

"Quem alcançou em alguma medida a liberdade da razão, não pode se sentir mais que um andarilho sobre a Terra e não um viajante que se dirige a uma meta final: pois esta não existe. Mas ele observará e terá olhos abertos para tudo quanto realmente sucede no mundo; por isso não pode atrelar o coração com muita firmeza a nada em particular; nele deve existir algo de errante, que tenha alegria na mudança e na passagem. Sem dúvida esse homem conhecerá noites ruins, em que estará cansado e encontrará fechado o portão da cidade que lhe deveria oferecer repouso; além disso, talvez o deserto, como no Oriente, chegue até o portão, animais de rapina uivem ao longe e também perto, um vento forte se levante, bandidos lhe roubem os animais de carga. Sentirá então cair a noite terrível, como um segundo deserto sobre o deserto, e o seu coração se cansará de andar. Quando surgir então para ele o sol matinal, ardente como uma divindade da i…