sexta-feira, 10 de dezembro de 2010



Todas as vezes eram iguais a primeira
um calor repentino, borboletas no estomago e o coração disparando como se fosse um beija-flor.
Não importa se era um olhar, a voz, o abraço.O mínimo contato fazia a magia se repetir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pages