BORBOLETAS Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande. As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela. Temos que nos bastar... nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém. As pessoas não se precisam, elas se completam... não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida. Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida. Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você. O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você. No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você! Mário Quintana

Comentários

  1. Perfeitamente! O Mário sabe o que fala!!! Eu particularmente tenho problemas com expectativas, tenho medo de cria-las, mas a vida exige isso de nós, não é mesmo? Eu tô aprendendo... Uma hora eu me jogo de cabeça, na hora certa, quando surgir uma boa oportunidade.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. No final das contas a gente percebe que gostar do outro é uma ação quase voluntária, não fosse a copiosa arte de querer retorno.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Os 7 Níveis de Consciência Espiritual

O Corvo e a Coruja

Arco-íris, pontes, serpentes e insights